Friday, January 13, 2006

Eu gosto de uma gelada


Não. Não estou falando de enrascadas e muito menos de cerveja. Aliás, eu sou careta, como diziam meus amigos. Não bebo. Não fumo. Não gosto de fazer bagunça. Mas não! Não sou um nerd!
Voltando ao assunto deste tópico, o que estava querendo dizer é que gosto do inverno. Mas parece que este ano São Pedro resolveu exagerar. Aqui no Japão faz um frio que há anos não se via. Ou se sentia, como queiram.
Bom, o fato é que no começo de janeiro fui fazer uma viagenzinha, na companhia do Carlos, para o norte da província de Gifu. Tinha passado o final de ano com meus pais em Minokamo, uma cidadezinha no interior da província de Gifu, abarrotada de brasileiros – a maioria trabalha na Sony. A idéia inicial era conhecer a famosa Shirakawa-mura, uma vila antiga, tombada pelas Nações Unidas como patrimônio histórico da humanidade. Lá, as casas são no estilo antigo, dos idos de 1800. Os telhados são de palha, super grossos e, a cada não sei quanto tempo, os moradores se juntam para trocar o telhado. Dizem que lá é bonito em todas as estações – vejam a foto.
No entanto, não consegui chegar até lá por causa da neve. O ônibus que leva os turistas até a vila não tinha como chegar até lá. Quer dizer, até tinha, mas a viagem seria mais longa e iríamos aproveitar muito pouco. Disseram que a neve já estava acima dos 2 metros.
Resolvemos ficar por lá mesmo, em Takayama. Conhecemos Hida, que tem uma carne famosa – comemos um bife que custou cerca de US$ 60. Um único e suculento bife! Uma fortuna, mesmo para os padrões japoneses. Mas a carne é super especial. Super macia. Super gostosa.
Para fechar o circuito de fontes termais, fomos para Gero. Ficamos num hotel típico japonês e foi muito legal. A cidade é bem pequena. Quase que uma vila e, espalhado por todo o centro há lugares em que você pode banhar o pé em água quente. Tudo aquecido pelo calor do magma. Sim, a cidade fica em cima de um vulcão. Inativo é claro! Na última foto, eu no "centro" da cidade. Ah! Esqueci de contar que lá há alguns onsen (banho de águas termais) de graça. Tem um inclusive que fica embaixo dessa ponte da foto. Mas quem é que tem coragem de tirar a roupa em público e entrar lá? Fora o frio. Mas pasmem! Sempre há algum louco. Aqui no Japão não existe pudor. As pessoas não têm vergonha de se expor nu na frente dos outros. Inclusive, é comum ver senhoras limpando o banheiro dos homens enquanto eles estão lá, de pé, fazendo as necessidades fisiológicas!
Bom, depois de Gero, voltamos para a casa dos meus pais e de lá fomos para Nagashima, num parque famoso que existe por lá, o Nagashima Spa Land. Foi super divertido. Gritei tanto que fiquei rouco. Lá tem umas oito montanhas-russas. Inclusive tem uma que fechou por tempo indeterminado. Era a maior do mundo. Mas teve um acidente e algumas pessoas se machucaram. Ui que meda!
O parque estava muito vazio. Mas vazio de dar dó. Tinha brinquedo que a gente tinha de esperar para encher. No mais foi legal. Nos divertimos muito.
Depois, infelizmente, tive de voltar à realidade. O trabalho já me esperava de braços cruzados e batendo o pé...
Para o alto e avante!

3 comments:

Maíra said...

Muito linda estas aldeias!!! É tão bom viajar e conhecer lugares e culturas diferentes, não?!
Engraçado, eu achei que os japoneses fossem os mais cheios de pudores do mundo! Nunca imaginei que tirassem assim a roupa em público com facilidade!!=)

Shigueko said...

Os homens japoneses nao teem pudor nenhum mesmo!! Nao se dao ao trabalho de procurar uma moitinha pra fazer xixi, abaixam as calcas e urinam em qualquer lugar na rua. Tbem eh muito comum ficarem lendo jornais com fotos de mulher pelada na sua cara dentro dos trens lotados. Sem falar naquelas tangas brancas enfiadas no rego como dos lutadores de sumo que sao usados nos festivais de verao. Mas quanto as mulheres... Talvez as velhinhas nao se importem mesmo, mas acredito q as jovens tenham mais vergonha sim Ewerthon...

Karina Almeida said...

ai que delícia essa sua viagem! vc deve ter renovado as energias pra encarar o ano novo ne?

tô vendo que o pudor dos japoneses rendeu conversa. e quero entrar! é isso que me encanta nesse povo: as contradições!

ficar pelado no onsen pode. mas na praia, sunga nem pensar e biquíni só aqueles da década de 60, 50, 40, sei lá.

nas ruas, usar minissaia pode. blusa decotada é um escândalo. vai entender...

beijos!