Monday, February 13, 2006

Cerimônia do mochi


Sexta-feira. Era final do dia. O sol ainda brilhava forte, mas o frio era intenso. O vento forte influenciava na sensação térmica e, ali, de pé sobre o solo úmido, a sensação não era das melhores. O pé, que já costuma ser frio, estava era congelado.
Mas o fato de ver uma tradição diferente, e ainda mais ao vivo, fazia meus pensamentos voarem longe. Como seria? O que eu teria de fazer? Calculava onde iria ficar e como iria pegar o máximo de bolinhos de arroz (mochi) que desse. Enquanto voava nas idéias, a dona Antonia, agarrada no meu braço só tremia de frio e questionava quando aquela tortura da natureza iria terminar.
Já eram por volta das 16h15, quando a família, proprietária da casa chegou. A cerimônia estava marcada para 16h30 e, tinha certeza de que não teríamos atraso, uma atitude imperdoável por aqui.
Para quem não está entendendo nada, explico melhor: na sexta-feira participei de uma cerimônia realizada quando se está construindo uma casa nova. Os donos da casa têm de jogar mochi (bolinho de arroz) da casa em construção para dar sorte etc e tal. Quem pega esses bolinhos e come, terá sorte também. Só não pode assar e nem grelhar o mochi, pois o kanji (ideograma) é o mesmo de pegar fogo, ou seja, a casa pode ser tragada por um incêndio. Então, como ninguém quer o pior -- lembram-se que disse que os japoneses são muito supersticiosos --, o melhor é comer o tal bolinho ensopado mesmo. Foi o que fiz.
Quando cheguei ao local, fiquei espantado com a quantidade de idosos. E todos muito bem preparados com cestas e sacolas enormes. E fui perceber depois que eles nem eram vizinhos da família. Apenas ficaram sabendo e, é claro, foram lá pegar os bolinhos. Vocês não têm idéia de como esse alimento é sagrado para os japoneses. Afinal, na época da guerra, era um dos poucos suprimentos que as famílias tinham e que durava muito tempo guardado.
Na hora de pegar os tais bolinhos, eu e a dona Antonia só ríamos. Era muito engraçado. Lembrei-me da minha infância, nas festinhas de aniversário, quando estouravam aquela bexiga enorme cheia de guloseimas e a criançada lá se matando para pegar os doces. Era a mesma coisa, só que ao invés de crianças, idosos. Fui empurrado, amassado e passado para trás. Tudo por causa de um bolinho. Ah, e por idosos!!
Foi divertido. Peguei o mochi e aprendi mais sobre a cultura local. Valeu mesmo.
É isso. Para o alto e avante!

4 comments:

Roberto said...

Bem, como eu nao tenho tido vontade de escrever, boto os filmes. Vou ver se essa semana eu finalizo o "dekassegui". tenho convite de um festival na Galicia para apresenta-lo.

Ale said...

O seu blog é o máximo! Parabens. Assim a gente pode saber o que nosso grande amigo anda fazendo.
bj

Maíra said...

Que engraçado isso. Estou adorando saber mais sobre as superstições dos japoneses! E o post das praias?! Estou a espera! ;-)
Bjos

Raquel said...

Da proxima vez que voce for disputar mochi com velhinhas, me chama que eu quero filmar tudo!