Wednesday, February 22, 2006

O Japão é incrível: comida

Pessoas,
Hoje vou falar de comida. Estou meio sem paciência e tempo para cozinhar. Quando isso acontece, recorro a algumas comidinhas rápidas, fáceis e baratas aqui no Japão. Uma delas é o ochazuke, uma espécie de ensopado de arroz com alguma coisa. Adoro. Ou então, arroz com furikake (uma espécie de pó com vários sabores para colocar sobre o arroz) ou disukemono (legumes em conserva). Mas o que mais gosto de fazer e comer é natto. Hoje mesmo eu comi arroz com natto. Só. Ah, e uma salada de moyashi (broto de feijão).

Natto é, na verdade, soja fermentada. Uma delícia. Entretanto, grande parte dos estrangeiros detestam. Muitos japoneses também não comem. É a comida divisora de águas por aqui.

Quem não come, diz que não o faz por causa do cheiro e da aparência melequenta. Mas tenho de admitir que é uma das comidas que mexe com nosso cinco sentidos. Tem gente, como o Carlos, que não suporta nem olhar para o negócio.
Eu, para melhorar -- ou piorar -- o prato, acrescento um ovo cru e shoyu (molho de soja).
Abaixo, um pequeno texto em inglês, que tenta explicar o tal do natto.

Rotten Soybeans! Toxic! Do not eat!
Natto, fermented soybeans, is part of an elaborate joke played on foreigners in Japan.
Of our five senses, sight and smell tell us that natto is not something to be put near our mouths. If you can imagine putrid beans covered in slime, you don't even need to open the packet. It's most popular in Tokyo, where the smell of the filthy ocean makes natto seem fragrant.



Vou arranjar uma foto para vocês.
Por enquanto é isso. Para o alto e avante!

6 comments:

Roberto said...

Nossa, eu nao consigo comer isso. Tipo, eu fui apresentado a isso no domingo passado. Quase nao comi nada por causa disso. Nada melhor que orelha e rabo de porco da feijoada. Hahahahahahahah!!!!

Claudia Irente said...

Ôi Ewerthon!!! Te achei de novo! Vc não consegue se livrar de mim, né rsrssrs. Adorei o seu blog, especialmente a introdução sobre a vinda de seus antepassados ao Brasil. Realmente devemos valorizar o esforço de nossos ancestrais, pois sem eles nós nem existiríamos e não teríamos o q temos hj! Valeu!

Maíra said...

Olá Ewerthon! Desculpa a ausência! Ainda não vou poder voltar com força total, mas ja li os posts anteriores do seu blog e obrigada pelo esclarecimento sobre as praias artificiais! =)
Acho que eu não conseguiria comer isso não, mas se vc diz que é bom, só posso acreditar!
Bjos

Karina Almeida said...

cadê a foto do natoo? coloca aí. deve ter um monte de gente que nunca viu essa meleca...

é nojento mesmo, mas sabe que eu acho que um dia ainda vou comer?

agora, chá verde nem pensar!

Anonymous said...

SIMONE ...
OI ACHEI LEGAL O COMENTARIO SOBRE O NATTO, EU ATE VO APROVEITA E KHE PEDIR UM FAVORZINHO, EU VO COMEÇAR UMA PESQUISA E PRECISAVA SABER MAIS SOBRE NATTO E MOYASHI.. TIPO TUDO Q VC PUDER ME ENFORMAR .. SOBRE TECNICA DE CULTIVO, PLANTIO ATE O BENEFICIAMENTO E ME ESCLARECI UMA COISINHA O Q ESSE TAL DE BROTO ??? COMO E ISSO.. OBRIGADA PELA ATEÇÃO...

Anonymous said...

Vc é doido!

Eu concordo em partes que a comida japonesa parece ser saudável e tal...
Mas já parou em corredor de supermercado ou lojas para perceber o quanto alguns japoneses fedem em vida, devido a isso?
Quando eu cheguei no Japão era muito pequena ainda, mas adorava peixe cru, lula, polvo, essas coisas... e comia sempre com wasabi.
Mesmo assim, peguei uma bactéria no estômago que me deixou quase sem andar, atacou pâncreas, fígado... e o pior... os médicos daqui não encontram isso.
Tive que enviar os exames e tratar por internet com médico do Brasil. Tomei antibiótico tão forte que parecia uma bomba atômica.
Sem falar no ovo cru, que tem salmonela, como não temos 100% de contato com a cultura, não sabemos que o índice de morte por contaminação é muito grande tbm.

Eu tenho curiosidade de experimentar natô, mas depois da experiência que tive, fiz um acordo com meu fogão e parti para meu velho e bom amigo, arroz com feijão hehehe...

Gomen que meus comentários são bem "deprês", mas são realisticos.

Beijos